junior1710

  • Hello world!

    Welcome to WordPress. This is your first post. Edit or delete it, then start writing!

  • Óculos amarelo é tendência entre as fashionistas. Inspire-se!

    Os óculos se tornaram o acessório indispensável para deixar a sua produção ainda mais cool e fashionista. Os modelos que vão ser hit na temporada chegam em versões statement e pra lá de coloridas. E sabe qual tom tem conquistado as bloggers e celebs por aí? O amarelo!

  • Sábado – Bendito Boteco

  • Baile Funk

  • Operação Tiradentes no Piauí prende 60 pessoas e recupera 14 veículos

    Após 24 horas de Operação Tiradentes, a Polícia Militar do Piauí teve como resultado a prisão de 60 pessoas, recuperação de 14 veículos e 164 ocorrências de apreensão de drogas em quantidades variadas. Para o coronel Paulo de Tarso, uma das maiores vitórias da ação, que durou 24 horas, foi o fato de nenhum homicídio ter sido registrado no estado durante esse período.

    “No interior funcionamos como bloqueios nos grandes centros urbanos e nas divisas com outros estados, além de evitar tráfico de drogas e posse de armas. Foram 10 mil abordagens em 24 horas. O que é importante é a presença da PM, fato que inibe o criminoso. É importante dizer que não tivemos nenhum homicídio em nenhum lugar do Piauí durante a operação”, afirmou o oficial.

    A “Operação Tiradentes” foi primeira operação conjunta de Policiais e Bombeiros Militares de todos os estados do Brasil. A ação teve início às 14h dessa quinta-feira (20) e encerrou às 14h desta sexta-feira, dia 21 de abril, dia de Tiradentes, patrono da Polícia Militar.

    Segundo a PM do Piauí, 1.120 policiais participaram da operação, foram realizadas 10.469 abordagens e foram apreendidas 61 armas. “Com os bloqueios, conseguimos recuperar 14 veículos e lavrar 232 autos de infração de trânsito. O resultado foi muito positivo”, concluiu o coronel Paulo de Tarso.

  • Polícia Civil prende seis pessoas e apreende 3kg de droga durante operação em Teresina

    Delegacia de Prevenção e Repressão a Entorpecentes (Depre) deflagrou ao longo desta semana a Operação Holofote, que prendeu duas mulheres e quatro homens, dando cumprimento a seis dos sete mandados de prisão preventiva que tinham como objetivo desarticular grandes traficantes que atuavam na Zona Norte de Teresina.

    Segundo o coordenador da Depre, delegado Menandro Pedro, foi constatado que todos os homens presos são reincidentes tendo passagens na polícia por crimes como tráfico de drogas, roubo a banco e explosão de caixas eletrônicos.

    “Pudemos perceber que apesar de reincidentes, estes homens não pararam de traficar. Três deles usavam tornozeleira eletrônica, ou seja, mesmo monitorados ele continuaram cometendo crimes. Quando a venda de drogas diminuía, eles migravam para outros crimes como o roubo de bancos e caixas eletrônicos”, disse.

    Durante as prisões, foram apreendidos cerca de três quilos de drogas, uma balança de precisão, dinheiro em espécie e uma moto.

    Ainda de acordo com Menandro Pedro, as provas que levaram a prisão da quadrilha são de grande importância já que foi por conta das investigaçõesinciadas há dois anos e das evidências colhidas, que os mandados foram expedidos.

    “Provamos ao Ministério Público e ao Judiciário que investigação não tem prazo definitivo. A inteligência funcionou ao longe desse tempo conseguindo testemunhas, fotos e filmagens. Isso tudo leva tempo, um bom trabalho leva tempo”, finalizou.

  • Le Pen sobe em pesquisa após ataque em Paris, mas Macron mantém liderança

    Em um levantamento para a revista Le Point, publicada nesta sexta-feira, Macron aparece na frente na primeira rodada de votações, a serem realizadas neste domingo, com 24,5% dos votos — uma queda de 0,5 pontos percentuais em relação à pesquisa anterior.

    Já Le Pen aparece em segundo lugar na votação, com 23% — 1 ponto acima na comparação com o levantamento anterior.

    O conservador François Fillon e o esquerdista Jean-Luc Melenchón caíram 0,5 pontos para 19%, não conseguindo se classificar para o segundo turno do dia 7 de maio.

    De acordo com a pesquisa, Macron derrotaria Le Pen com folga na segunda rodada.

    Trump: Atentado terá efeito na eleição
    Reivindicado pelo Estado Islâmico (EI), o ataque de quinta-feira na avenida símbolo de Paris deixou um policial morto e outros dois agentes feridos. O atirador, identificado como Karim Cheurfi, um francês de 39 anos, foi morto depois da ação pelas forças de segurança.

    O presidente americano Donald Trump advertiu nesta sexta-feira que o ataque em “terá um grande efeito” na eleição presidencial.

    “Outro ataque terrorista em Paris. O povo da França não vai aceitar muito mais disto. Terá um grande efeito sobre a eleição presidencial!”, escreveu Trump no Twitter poucas horas depois do atentado.

    Três dos quatro candidatos que aparecem nas primeiras posições nas pesquisa suspenderam suas campanhas nesta sexta-feira.

    A França se encontra em estado de emergência e com o maior nível de alerta desde o início, em 2015, de uma onda de atentados terroristas, que matou mais de 230 pessoas.

  • Fachin pede manifestação de Janot sobre recurso do PSOL para investigar Temer

    O inquérito em que o PSOL entrou com recurso vai apurar pagamento de vantagens indevidas em um processo licitatório que o Grupo Odebrecht participou dentro do Plano de Ação de Certificação em Segurança, Meio Ambiente e Saúde (PAC SMS).

    O único investigado é o senador Humberto Costa (PT-PE), mas o ex-presidente da Odebrecht Engenharia Industrial Márcio Faria da Silva detalhou um encontro no escritório político de Temer, em Alto de Pinheiros, em São Paulo, em 15 de julho de 2010, em que afirma ter sido acertado pagamento de propina de US$ 40 milhões ao PMDB – valor era referente a 5% de contrato da empreiteira assinado com a Petrobras, que totalizava US$ 825 milhões.

    Mesmo havendo citações a Temer, Janot alegou “impossibilidade de investigação do presidente da República, na vigência de seu mandato, sobre atos estranhos ao exercício de suas funções”, com base no artigo 86, parágrafo 4º, da Constituição Federal.

    Fachin, no despacho em que autorizou a abertura do inquérito, não chegou a analisar a argumentação da PGR sobre a não inclusão de Temer no rol de investigados. Apenas chancelou o pedido apresentado em relação ao senador, que nega qualquer irregularidade.

  • Doria diz que Alckmin está ‘muito constrangido’ com citação em delações

    prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB) disse nesta sexta-feira, 21, que o governador Geraldo Alckmin (PSDB) está “muito constrangido” com a citação a seu nome em delações de ex-executivos da Odebrecht. Três delatores afirmaram à Procuradoria-Geral da República que Alckmin usou o cunhado como intermediário para receber R$ 10,7 milhões via caixa 2 do setor de propinas da empreiteira. O governador nega.

    “Muito constrangido, muito constrangido”, disse Doria ao ser questionado sobre a reação do governador, de quem ele é um dos mais próximos aliados, sobre as citações nas delações. “Evidentemente que alguém que tem uma vida limpa, construída com modéstia, como ele tem fica evidentemente constrangido diante dessas circunstâncias”, disse ele em Foz do Iguaçu, onde participou pela primeira vez como prefeito do Fórum de Líderes Empresariais, que está em sua 16ª edição e é organizado pelo Grupo Doria, do qual até ano passado era presidente.

    De acordo com os delatores Benedicto Barbosa da Silva Júnior, Carlos Armando Guedes Pachoal e Arnaldo Cumplido de Souza e Silva, o dinheiro do Grupo Odebrecht teria sido repassado ao então candidato Geraldo Alckmin, a pretexto de contribuição eleitoral, R$ 2 milhões no ano de 2010 e R$ 8,3 milhões no ano de 2014.

    Em nota, o governador afirmou que jamais pediu ou recebeu recursos irregulares. “Jamais pedi recursos irregulares em minha vida política, nem autorizei que o fizessem em meu nome. Jamais recebi um centavo ilícito. Da mesma forma, sempre exigi que minhas campanhas fossem feitas dentro da lei.”

  • Lula e Marisa queriam passar fim de ano no tríplex do Guarujá, diz Léo Pinheiro

    O Casal Lula e Marisa Letícia (que morreu em fevereiro deste ano) planejava passar as festas de fim de ano de 2014 no tríplex 164-A do Edifício Solaris, que o empreiteiro José Aldemário Pinheiro, o Léo Pinheiro, diz ter sido comprado e reformado pela OAS, como vantagens indevidas concedidas ao petista.

    Léo narra que depois da primeira visita com Lula, foi feita uma segunda visita. Dessa vez Lula não foi, havia preocupação porque era ano de eleição. Léo foi com dona Marisa, ocasião em que ouviu um pedido.

    “Então dona Marisa fez um pedido: “Nós gostaríamos de passar as festas de fim de ano aqui no apartamento. Teria condições de estar pronta?””, relatou Léo Pinheiro ao juiz federal Sérgio Moro, dos processos da Operação Lava Jato em audiência na quinta-feira, 21.

    Moro perguntou depois se deu tempo de terminar a obra e o empreiteiro disse que sim.”Pode ficar certo que antes disso…”, disse Léo Pinheiro, o empreiteiro do cartel, que fatiava obras na Petrobras pagando propinas a políticos e agentes públicos, mais próximo do ex-presidente.

    A denúncia do Ministério Público Federal sustenta que Lula recebeu R$ 3,7 milhões em benefício próprio – de um valor de R$ 87 milhões de corrupção – da empreiteira OAS, entre 2006 e 2012. As acusações contra Lula são relativas ao recebimento de vantagens ilícitas da empreiteira OAS por meio do tríplex no Guarujá, no Solaris, e ao armazenamento de bens do acervo presidencial, mantido pela Granero de 2011 a 2016.

    O Edifício Solaris era da Cooperativa Habitacional dos Bancários (Bancoop), a cooperativa fundada nos anos 1990 por um núcleo do PT. Em dificuldade financeira, a Bancoop repassou para a OAS empreendimentos inacabados, o que provocou a revolta de milhares de cooperados – eles protestam na Justiça que a empreiteira cobrou valores muito acima do previsto contratualmente. O ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto foi presidente da Bancoop.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios