Assessoria

Com mais de 43 anos prestados à radiofonia paraibana, o radialista Cardivando de Oliveira iniciou a carreira em plena ditadura militar. Apresentador do programa BOM DIA PARAÍBA, na rádio Sanhauá, Cardivando é dono de uma audiência invejável.Cardivando Cavalcante de Oliveira, pessoense, radialista com mais de 50 anos prestados ao radialismo paraibano, iniciou a carreira no ano de 1964, em plena ditadura militar, no bairro da Torre, como locutor da Difusora Luso-brasileira, pertencente ao radialista Manoel Alexandre.Âncora do programa BOM DIA PARAÍBA, apresentado pela rádio Sanhauá, na freqüência AM 1.280, Cardivando foi o comunicador pioneiro, a colocar o ouvinte no ar através do telefone. No seu programa, são abordados diversos temas sempre com a participação do ouvinte. Dono de um estilo singular de fazer rádio, Cardivando de Oliveira é o criador do bordão: "Tu cai daí", ora utilizado por ele, sempre que um ouvinte comete um deslize, ou exagera num determinado comentário.
  • Câmara aprova 350 matérias e Declaração de Direitos de Liberdade Econômica

    A Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) realizou sessão ordinária remota nesta manhã de quinta-feira (9). Os parlamentares aprovaram cerca de 350 matérias legislativas, dentre elas a emissão da ‘Declaração de Direitos de Liberdade Econômica’ como forma desburocratizar a abertura de pequenas empresas na Capital paraibana.

    O PL 1.397/2019, de Thiago Lucena (PRTB), institui a ‘Declaração de Direitos de Liberdade Econômica’ em João Pessoa, estabelecendo normas para os atos de liberação de atividade econômica no município. A propositura tem como base a MP 881/2019 do Governo Federal, conhecida como ‘MP da Liberdade Econômica’ ou ‘MP das Startups’, que desaguou na Lei Federal 13.874/2019. Seu objetivo é minimizar as burocracias enfrentadas por quem quer empreender, facilitando o registro de negócios considerados de baixo risco, detalhando atividades que podem ser efetivadas sem a necessidade de grandes trâmites burocráticos mediante a Prefeitura. A exemplo, a liberação de licenças, autorizações, inscrição, registro, alvará, entre outros atos exigidos, inclusive a nível ambiental, sanitário e de edificação.

    “Garantir a liberdade econômica, com redução de exigências burocráticas sem sentido para negócios de baixo impacto é promover oportunidades de geração de riqueza para quem empreende e para quem trabalha. A medida também garante aos empreendedores o tratamento isonômico pelo Executivo Municipal, fortalecendo a segurança jurídica empresarial”, atestou Thiago Lucena, na justificativa da proposta.

    Também foi aprovado o PL 892/2018, de autoria do vereador Bruno Farias (Cidadania), que institui mecanismos de proteção e segurança nos computadores e equipamentos de informática instalados nas escolas do Município. Segundo o PL, a intenção é proteger estudantes de conteúdos, como pornografia, erotização, apologia à violência, consumo de drogas ilícitas, ideologia de gênero e outros temas considerados pelo autor como maléficos à família.

    A vereadora Sandra Marrocos (PT) apresentou emenda supressiva para retirar a expressão “ideologia de gênero” do projeto, alegando a inexistência científica do termo e a possibilidade de que a interpretação errônea da expressão possa prejudicar a discussão da violência contra a mulher e do combate à violência sexual nas escolas.

    “Nossa legislatura já veda a ideologia de gênero. Nosso projeto está em absoluta adequação com as legislações federal, estadual e municipal e visa a proteger nossas crianças de conteúdos inapropriados”, defendeu Bruno Farias, votando contrário à emenda da vereadora. A emenda foi derrubada com 5 votos pela supressão, 10 pela permanência do termo e uma abstenção.

    Indicações e Requerimentos

    Dentre as Indicações aprovadas destacam-se: a instituição de incentivo fiscal para desenvolvimento do esporte amador e a criação do Fundo Municipal de Esporte e Recreação do Município, ambas de autoria do vereador Zezinho Botafogo (Cidadania); e a instituição do programa “Pet Care” com o objetivo de conceder medicamentos e ração para a manutenção das atividades desenvolvidas por protetores de animais durante a pandemia do coronavírus em João Pessoa, numa propositura do vereador Renato Martins (Avante). “Cuidar do bem-estar animal também é cuidar dos seres humanos”, justificou o autor.

    Já dentre os requerimentos aprovados, destaca-se o que solicita ao Governo do Estado que o Hospital Solidário, instalado no estacionamento do Hospital Metropolitano Dom José Maria Pires para combater o Covid-19, permaneça em atividade até que todos os setores econômicos tenham sua reabertura autorizada. Segundo o autor do requerimento, vereador Thiago Lucena, a intenção é garantir assistência médico-hospitalar aos que estarão expostos com a retomada do setor produtivo. “Diminuir a quantidade de leitos hospitalares nesse momento é um grande desrespeito”, defendeu o autor.

    “Não chegamos ao final da pandemia e há quem diga que podemos ter uma segunda onda de contaminação. Será que esse é o momento adequado de desmontar esse hospital? Acho precipitado, devemos aguardar um pouco mais”, afirmou vereador Bispo José Luiz (Republicanos).

    Vetos

    Foram mantidos três vetos do Executivo a PLOs. O veto 304/2020 foi total o PLO 236/2017, de Marcos Henriques (PT). A matéria assegura ao estudante o direito de optar pelo pagamento de meia passagem em espécie, independente da existência de crédito no cartão vinculado à bilhetagem eletrônica. Também foi total o veto 314/2020 ao PLO 1.310/2019, de Humberto Pontes (PV), que cria o programa “Domingo na Rua”, destinando logradouros públicos para a prática de esportes, lazer e atividades culturais aos domingos. A justificativa do veto foi que a matéria é reservada ao Executivo e cria novas atribuições em secretaria do município. Também houve o veto 335/2020, parcial ao PLO 1.062/2018, de Tibério Limeira, que trata da forma de afixação de preços e disposição de informações aos consumidores idosos e pessoas com deficiência em supermercados e afins.

    Clarisse Oliveira e Haryson Alve

    Secom CMJP

  • Cícero Lucena confirma pré-candidatura à prefeitura de João Pessoa: ”Eu digo sim”

    Cícero Lucena divulgou um vídeo nas redes sociais em que confirma a pré-candidatura à prefeitura de João Pessoa. O vídeo, divulgado nesta quinta-feira (9), tem o título ”Eu digo sim”.

    ”Eu estou pronto e digo sim. Estou pronto para o futuro da nossa capital João Pessoa e conto com vocês para enfrentarmos todos os desafios que temos pela frente, especialmente agora, pós-pandemia. Compartilhe esse vídeo com seus amigos e vamos formar uma grande corrente pelo bem da cidade. Com capacidade, união e equilíbrio. Chegou a hora!”, escreveu Cícero na legenda do vídeo.

    Cícero havia anunciado uma live nesta quinta-feira (9) às 11h, quando era esperado que ele fizesse o anúncio da pré-candidatura, mas ele resolveu adiantar a notícia. O assunto da live deve ser os caminhos de João Pessoa no pós-pandemia.

    Clickpb

  • Prefeito de João Pessoa anuncia medidas da terceira etapa da Flexibilização nesta sexta-feira

    O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, anuncia, às 16h desta sexta-feira (10), o quadro atual da cidade no combate à pandemia do novo coronavírus e anuncia as medidas do início da terceira etapa do Plano Estratégico de Flexibilização. O anúncio acontece no auditório do Paço Municipal e através de transmissão ao vivo nas redes sociais do prefeito e da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP).

    Na ocasião, dando sequência ao plano elaborado pela gestão municipal para o retorno seguro das atividades, Luciano Cartaxo apresentará a evolução da cidade nas ações de combate à Covid-19 e os protocolos que orientarão a retomada de novos segmentos ao ‘novo normal’.

    O Plano Estratégico teve início em 15 de junho, após o fim do isolamento social rígido, com ações planejadas e regras de ouro para garantir a segurança da população e evolução da cidade no enfrentamento à pandemia. Entre elas, o distanciamento social, ou seja, 1,5m de distância entre funcionários e clientes, priorização do trabalho remoto para colaboradores de risco e demarcação de espaço nas filas, além de medidas de higiene como disponibilização do álcool 70% e uso obrigatório de máscaras.

    Na primeira etapa, retornaram à atividade segmentos como o comércio atacadista, a construção civil, concessionárias, revendas de veículos e locadoras, e empresas de assistência técnica, além de atividades religiosas com 30% da capacidade.

    Na segunda etapa, iniciada em 29 de junho, as lojas de material de construção passaram a funcionar com a permanência simultânea de um cliente a cada 10m² de área do estabelecimento.

    Outros setores como dos profissionais liberais e atletas profissionais retomaram ao trabalho e treinos, respectivamente, seguindo protocolos e observando as medidas de prevenção. Já para as atividades religiosas, foram mantidos os critérios da primeira fase, ou seja, 30% da capacidade.

    Os ônibus do transporte público coletivo também regressaram nesta última segunda-feira (6), como parte da segunda etapa do Plano de Flexibilização, com novas medidas de segurança e higiene nos ônibus e paradas.

    Clickpb

  • Paraíba confirma 1.651 novos casos de coronavírus nesta terça-feira

    Nesta terça, 7 de julho, a Paraíba registrou 1.651 novos casos de Covid-19 e 27 óbitos confirmados desde a última atualização, 6 deles ocorridos nas últimas 24h. São 54.802 pessoas que já contraíram a doença, 19.373 que já se recuperaram e 1.145 faleceram. Até o momento, 160.869 testes para diagnóstico da Covid-19 já foram realizados.

    A ocupação total de leitos de UTI (adulto, pediátrico e obstétrico) em todo o estado é de 57%. Fazendo um recorte apenas dos leitos de UTI para adultos na Região Metropolitana de João Pessoa, a taxa de ocupação chega a 66%. Em Campina Grande, estão ocupados 57% dos leitos de UTI adulto e no sertão, 44% dos leitos de UTI para adultos.
    O índice de Isolamento Social foi de apenas 41,2 %, considerado baixo em relação à meta de 70% e à mínima de 50%.

    Os casos confirmados estão distribuídos por 218 dos 223 municípios paraibanos:

    Água Branca (33); Aguiar (18); Alagoa Grande (482); Alagoa Nova (189); Alagoinha (534); Alcantil (21); Algodão de Jandaíra (3); Alhandra (370); Amparo (12); Aparecida (35); Araçagi (311); Arara (115); Araruna (122); Areia (181); Areia de Baraúnas (1); Areial (32); Aroeiras (99); Assunção (27); Baia da Traição (202); Bananeiras (91); Baraúna (119); Barra de Santa Rosa (21); Barra de Santana (64); Barra de São Miguel (8); Bayeux (966); Belém (372); Belém do Brejo do Cruz (9); Bernardino Batista (3); Boa Ventura (3); Boa Vista (54); Bom Jesus (6); Bom Sucesso (7); Bonito de Santa Fé (3); Boqueirão (154); Borborema (7); Brejo do Cruz (130); Brejo dos Santos (8); Caaporã (792); Cabaceiras (14); Cabedelo (1959); Cachoeira dos Índios (45); Cacimba de Areia (7); Cacimba de Dentro (54); Cacimbas (39); Caiçara (263); Cajazeiras (694); Cajazeirinhas (1); Caldas Brandão (104); Camalaú (1); Campina Grande (7416); Capim (121); Caraúbas (26); Carrapateira (24); Casserengue (141); Catingueira (15), Catolé do Rocha (171); Caturité (61); Conceição (69); Condado (79); Conde (445); Congo (37); Coremas (38); Coxixola (12); Cruz do Espírito Santo (192); Cubati (45); Cuité (116); Cuité de Mamanguape (60); Cuitegí (163); Curral de Cima (15); Curral Velho (1), Damião (3); Desterro (37); Diamante (3); Dona Inês (26); Duas Estradas (44); Emas (3); Esperança (291); Fagundes (51); Frei Martinho (3); Gado Bravo (73); Guarabira (2495); Gurinhém (218); Gurjão (19); Ibiara (11); Igaracy (4); Imaculada (22); Ingá (396); Itabaiana (724); Itaporanga (49); Itapororoca (264); Itatuba (161); Jacaraú (138); Jericó (5); João Pessoa (15330); Joca Claudino (2); Juarez Távora (178); Juazeirinho (121); Junco do Seridó (28); Juripiranga (322); Juru (13); Lagoa (3); Lagoa de Dentro (46); Lagoa Seca (446); Lastro (15); Livramento (44); Logradouro (68); Lucena (204); Mãe d’Água (12); Malta (21); Mamanguape (1428); Manaíra (8); Marcação (61); Mari (483); Marizópolis (8); Massaranduba (190); Mataraca (116); Matinhas (45); Mato Grosso (7); Matureia (25); Mogeiro (84); Montadas (34); Monteiro (121); Mulungu (190); Natuba (45); Nazarezinho (8); Nova Floresta (20), Nova Olinda (6); Nova Palmeira (38); Olho D´Água (33); Olivedos (41); Parari (4); Passagem (29); Patos (1832); Paulista (64); Pedra Lavrada (22); Pedras de Fogo (1002); Pedro Régis (26); Piancó (73); Picuí (100); Pilar (173); Pilões (39); Pilõezinhos (168); Pirpirituba (119); Pitimbu (521); Pocinhos (63); Poço Dantas (3); Pombal (164); Prata (2); Princesa Isabel (44); Puxinanã (193); Queimadas (596); Quixaba (26); Remígio (166); Riachão (29); Riachão do Bacamarte (192); Riachão do Poço (35); Riacho de Santo Antônio (18); Riacho dos Cavalos (5); Rio Tinto (540); Salgadinho (10); Salgado de São Felix (118); Santa Cecília (21); Santa Cruz (13); Santa Helena (10); Santa Inês (19); Santa Luzia (174); Santa Rita (1394); Santa Terezinha (31); Santana de Mangueira (1); Santana dos Garrotes (6); Santo André (5); São Bentinho (22); São Bento (644); São Domingos do Cariri (21); São Francisco (8); São João do Cariri (30); São João do Rio do Peixe (74); São João do Tigre (4); São José da Lagoa Tapada (18); São José de Caiana (29); São José de Espinharas (10); São José de Piranhas (70); São José de Princesa (1); São José do Bonfim (51); São José do Brejo do Cruz (5); São José do Sabugi (164); São José dos Cordeiros (4); São José dos Ramos (105); São Mamede (31); São Miguel de Taipu (77); São Sebastião de Lagoa de Roça (127); São Sebastião do Umbuzeiro (4); São Vicente do Seridó (23); Sapé (588); Serra Branca (76); Serra da Raíz (13); Serra Grande (6); Serra Redonda (146); Serraria (30); Sertãozinho (40); Sobrado (94); Solânea (179); Soledade (96); Sossego (6), Sousa (615); Sumé (78); Tacima (79); Taperoá (51); Tavares (26); Teixeira (79); Tenório (11); Triunfo (11); Uiraúna (27); Umbuzeiro (45); Várzea (8); Vieirópolis (4); Vista Serrana (2), Zabelê (4).

    *Dados oficiais preliminares (fonte: SIM,e-sus VE e SIVEP) extraídos às 10h do dia 07/07, sujeitos a alteração por parte dos municípios.

    27 óbitos foram registrados entre os dias 17 de maio e 06 de julho:

    Homem, 57 anos. Residente em Santa Rita. cardiopata. Início dos sintomas em 09/05. foi a óbito em hospital público no dia 17/05.

    Mulher, 72 anos. Residente em Santa Rita. Cardiopata. Início dos sintomas em 13/05. foi a óbito em hospital público no dia 18/05.

    Homem, 79 anos. Residente em Santa Rita. Diabético, cardiopata e hipertenso. Início dos sintomas em 14/05. foi a óbito em hospital público no dia 18/05.

    Homem, 60 anos. Residente em João Pessoa. Diabético e cardiopata. Início dos sintomas em 28/04. foi a óbito em hospital privado no dia 24/05.

    Homem, 41 anos. Residente em Campina Grande. Portador de doença respiratória e cardiopatia. Início dos sintomas em 14/05. foi a óbito em hospital público no dia 27/05.

    Mulher, 42 anos. Residente em Santa Rita. Portadora de doença neurológica. Início dos sintomas em 04/05. foi a óbito em hospital público no dia 29/05.

    Homem, 60 anos. Residente em Campina Grande. Hipertenso. Início dos sintomas em 06/06. foi a óbito em hospital público no dia 12/06.

    Mulher, 88 anos. Residente em Alagoa Grande. Cardiopata. Início dos sintomas em 27/05. foi a óbito em hospital privado no dia 13/06.

    Homem, 59 anos. Residente em Campina Grande. Etilista e portador de doença hepática. Início dos sintomas em 16/06. foi a óbito em hospital público no dia 20/06.

    Homem, 23 anos. Residente em Pato.Sem comorbidade. Início dos sintomas em 27/05. foi a óbito em hospital público no dia 21/06.

    Mulher, 47 anos. Residente em João Pessoa. Hipertensa e tabagista. Início dos sintomas em 15/06. foi a óbito em sua residência no dia 22/06.

    Homem, 78 anos. Residente em Gurinhén. Cardiopata e hipertenso. Início dos sintomas em 27/06. foi a óbito em sua residência no dia 01/07.

    Homem, 82 anos. Residente em João Pessoa. Cardiopata, obeso e portador de doença respiratória. Início dos sintomas em 10/06. foi a óbito em hospital público no dia 02/07.

    Mulher, 59 anos. Residente em Mamanguape.Hipertensa, diabética e tabagista. Início dos sintomas em 30/06. foi a óbito em hospital público no dia 02/07.

    Homem, 70 anos. Residente em Mari. Hipertenso, ex- tabagista. Início dos sintomas em 14/06. foi a óbito em hospital público no dia 03/07.

    Homem,87 anos. Residente em Alagoa Grande. Cardiopata. Início dos sintomas em 18/06. foi a óbito em sua residência no dia 04/07.

    Mulher, 73 anos. Residente em Patos. Hipertensa e diabética . Início dos sintomas em 25/06. foi a óbito em hospital público no dia 04/07.

    Homem, 67 anos. Residente em Campina Grande. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 12/06. foi a óbito em hospital público no dia 05/07.

    Homem, 60 anos. Residente em Campina Grande. Diabético e hipertenso. Início dos sintomas em 03/06. foi a óbito em hospital público no dia 05/07.

    Homem, 79 anos. Residente em Princesa Isabel. Sem comorbidade. Início dos sintomas em 29/06. foi a óbito em hospital público no dia 05/07.

    Mulher, 71 anos. Residente em Queimadas. Cardiopata. Início dos sintomas em 20/06. foi a óbito em hospital público no dia 05/07.

    Homem, 60 anos. Residente em Cajazeiras. Hipertenso e cardiopata. Início dos sintomas em 23/06. foi a óbito em hospital público no dia 06/07.

    Mulher, 80 anos. Residente em Cajazeiras. Hipertensa, diabética e cardiopata. Início dos sintomas em 01/07. foi a óbito em hospital público no dia 06/07.

    Mulher, 100 anos. Residente em Cruz do Espírito Santo. Portadora de doença respiratória. Início dos sintomas em 04/07. foi a óbito em hospital público no dia 06/07.

    Mulher, 61 anos. Residente em Itabaiana. Hipertensa. Início dos sintomas em 15/06. foi a óbito em hospital público no dia 06/07.

    Mulher, 69 anos. Residente em Mari. Portadora de doença neurológica. Início dos sintomas em 19/06. foi a óbito em hospital público no dia 06/07.

    Mulher, 70 anos. Residente em Patos. Hipertensa. Início dos sintomas em 28/05. foi a óbito em hospital público no dia 06/07.

    Os dados epidemiológicos e de ocupação de leitos estão disponíveis em www.paraiba.pb.gov.br/coronavirus

    Parlamentopb

  • Idosos não estão proibidos de utilizar transporte coletivo e motoristas não devem impedir acesso ou cobrar passagem, alerta Semob-JP

    A Semob-JP emitiu uma nota na manhã desta quarta-feira (08), reforçando a informação de que idosos não estão proibidos de utilizar os transportes coletivos na capital paraibana. Além disso, os motoristas ou cobradores não devem impedir o acesso ou cobrar a passagem deste grupo.

    O órgão lembra que tal atitude está em desacordo com as determinações municipais e que segundo a Secretaria de Saúde do município, os idosos e demais grupos de risco para a Covid-19, deve evitar sair de casa, mas caso precise evitar utilizar os horários de pico do transporte coletivo.

    O idoso que for privado de entrada no transporte deve procurar a Semob-JP para realização de reclamação formal.

    Confira a nota completa

    A Semob-JP reforça que os idosos não estão proibidos de utilizar o transporte público e que qualquer atitude por parte de motoristas ou cobradores no sentido de impedir o acesso ou cobrar a passagem está em desacordo com as determinações municipais. 

    A Portaria 30/2020, da Secretaria Municipal de Saúde, diz claramente em seu artigo 3°:

     Recomenda-se que idosos e demais pessoas do grupo de risco para o Covid- 19 e, se for imprescindível que evite, em qualquer hipótese utilizar nos horários de pico do transporte coletivo

    Dito isto, reforçamos que qualquer pessoa que passe por privação de acesso deve procurar a Semob-JP, por meio dos telefones 3218-9330 ou 3218-9336 ou pelo Fale Conosco no endereço servicos.semobjp.pb.gov.br para fazer uma reclamação formal, possibilitando que medidas efetivas sejam tomadas.

    Clickpb

  • CPP da Câmara aprova projeto de proteção às mulheres vítimas de violência durante isolamento social

    Na tarde desta terça-feira (30), em sessão remota, a Comissão de Políticas Públicas (CPP) da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) foi favorável ao Projeto de Lei (PL) que dispõe sobre as medidas de proteção às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar durante período de duração do plano municipal de contingência à covid-19, na Capital. A Comissão ainda apreciou mais cinco projetos, dentre os quais três tiveram parecer favorável e dois receberam Pedido de Vista.                                                             

    O PL 1833/2020 determina que ficam instituídas as medidas de proteção que visam atender às mulheres vítimas de violência doméstica e familiar durante o período de duração do Plano Municipal de Contingência COVID-19, no município de João Pessoa. Tais medidas de proteção são extensivas aos filhos das mulheres vítimas de violência doméstica e familiar.

    O documento ainda especifica que caso a autoridade pública competente constate a ocorrência de situações de agressão às mulheres ou aos seus filhos, esses serão submetidos às seguintes medidas de proteção: acolhimento imediato na Rede de Enfrentamento à Violência Contra a Mulher do Município de João Pessoa; acompanhamento técnico multidisciplinar em todos os locais em que as mulheres e os seus filhos, vítimas de violência doméstica e familiar, estejam abrigados; presença de agente público ou privado de segurança no local em que às mulheres e os seus filhos, vítimas de violência doméstica e familiar, estejam abrigados; e atuação em colaboração com iniciativas não governamentais.

    Demais projetos

    Os outros PLs que também receberam parecer favorável foram os seguintes: o 1490/2019 que dispõe sobre a criação do programa municipal de práticas integrativas e complementares em saúde na Capital; o 1514/2019 instituindo a política municipal de proteção dos direitos da pessoa com fibromialgia na cidade; e o 1577/2019 que reconhece como patrimônio de arte cultural adaptada de natureza imaterial do povo pessoense a Cia. de Danças Helena Holanda.

    Receberam Pedido de Vistas, para melhor apreciação, o PL 1397/2019 que institui, no âmbito municipal, a declaração de direitos de liberdade econômica, estabelecendo normas para os atos de liberação de atividade econômicas e dá outras providências; e o PL 1317/2019 que autoriza o poder público municipal a fixar e cobrar preço público pela ocupação do espaço de solo em áreas públicas municipais pelo sistema de posteamento da rede de energia elétrica e de iluminação pública, de propriedade da concessionária de energia elétrica que os utiliza.

  • Samu de João Pessoa realiza 6,9 mil atendimentos no mês de junho

    O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) de João Pessoa realizou aproximadamente 6.900 atendimentos, no mês de junho. Conforme levantamento do setor de Estatísticas do Samu, entre os atendimentos realizados, 79% foram de socorro, sendo 7% de remoção. Normalmente, os procedimentos são feitos no local e, se necessário, o paciente é encaminhado à rede de hospitais.

    Segundo a coordenadora do Samu, Erika Andrade, por conta da pandemia do coronavírus, houve um aumento no número de ligações. “Era o esperado, por isso aumentamos o número de pessoal para dar conta da demanda”.

    Outros 14% dos atendimentos foram apenas de orientação, nos quais o médico conversa por telefone com o paciente, não tendo a necessidade de ir até o local da chamada. Considerando o total de ligações, 7% foram canceladas, seja pelo paciente ou pelo médico, por não se tratar de nada grave. Um número ainda alto é o de trotes, que correspondeu a 12% das ligações.

    A coordenadora alerta que a população deve ter cuidado ao ligar para o Samu, pois o serviço é voltado apenas para urgências. Para aquelas pessoas que apresentam sintomas de síndromes gripais e precisam de uma consulta médica, a prefeitura oferece o serviço de telemedicina, através do telefone: 3218-9214.

    Samu Regional João Pessoa – O serviço é estruturado por quatro unidades de suporte avançado de vida (USA), sete unidades de suporte básico de vida (USB) e sete motolâncias. Para acionar o serviço, o usuário deve ligar gratuitamente para o número 192.

    • Texto: Gabriela Neves
      Edição: Thadeu Rodriguez
      Fotografia: Gilberto Firmino

  • Presidente da Câmara de João Pessoa descarta reajuste de vereadores

    O presidente da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), vereador João Corujinha (Progressistas) garantiu hoje que o projeto de Lei Complementar (PLC) 1700/2019 não está em discussão e não será levado a plenário. O texto foi lido ano passado e considerado inoportuno à época por se tratar de matéria que estabelece reajuste dos vencimentos dos vereadores.

    Este ano, com a pandemia de coronavírus e o agravamento da crise econômica por causa das restrições impostas pelo isolamento social, Corujinha, em nome da Mesa Diretora, enfatizou que o projeto será arquivado: “Não é momento para se pensar nisso. Os vereadores estão há oito anos sem aumento e devemos completar 12 anos sem aumento até o fim desta legislatura. É um projeto a ser arquivado”.

    Ele ressaltou que o parlamento é sensível ao atual momento atípico vivido pela população em meio à pandemia e por isso os parlamentares permanecerão sem reajuste, até o fim desta legislatura.

    Secom CMJP

  • Bruno Farias critica plano de retomada da PMJP: É puro amadorismo

    Em plena execução da 2ª Fase de seu plano de flexibilização, a gestão municipal demonstra incoerência, insensibilidade, falta de planejamento, ausência de diálogo com o setor produtivo e indiferença com empreendedores e trabalhadores, na opinião do vereador e presidente do Cidadania-JP, Bruno Farias.

    “Qual a lógica, por exemplo, em proibir atividades físicas individuais em lugares abertos e permitir a volta do futebol profissional? Sem diálogo com a cidade, sem planejamento e com base em achismos, a PMJP vai conduzindo João Pessoa em meio a um dos momentos mais desafiadores da sua história. Esse amadorismo precisa acabar”, cobra.

    A personal trainer, Fabiola Monteiro, também não vê lógica nessa proibição. “Não tem lógica. A prática regular de exercícios está associada a uma melhora na função imunológica, otimizando as defesas do organismo diante de agentes infecciosos. Estamos enfrentando a pandemia do covid e do sedentarismo”.

    Outra prova da falta de planejamento da gestão municipal é o atraso no retorno do transporte público coletivo, uma vez que a prefeitura pediu mais uma semana para higienizar paradas de ônibus e terminais de integração, bem como definir o protocolo de retorno. “Lógico que as medidas são importantes, mas a prefeitura não sabia que deveriam ser realizadas? Por que o protocolo de retorno do transporte público já́ não estava pronto? Por que não ter dialogado com o setor de transporte com antecedência? Por que tanto improviso para tratar algo tão sério que impacta tão duramente a nossa cidade?”, questiona Bruno.

    O parlamentar acredita ainda que, embora os indicadores estejam evoluindo, a flexibilização não acompanha esse progresso e uma das grandes consequências recai nos ombros dos comerciantes. “A dura realidade é que, por exemplo, muitos bares e restaurantes não terão mais condições elementares e saúde financeira para retomarem as suas atividades. Demitiram colaboradores, pagaram pesados e elevados encargos sociais, tributários e trabalhistas, e também não tiveram acesso ao crédito através do PRONAMPE. Uma pena essa situação”, avalia.

    Segundo Bruno é preciso compatibilizar a proteção da saúde e a preservação de empreendimentos e de postos de trabalho. O Setor de Alimentação Fora do Lar já dispõe de protocolos rígidos de segurança, higiene e distanciamento social que, uma vez adotados, vão, a um só tempo, salvar vidas, empregos e empresas. “Se a abertura ampla, total e irrestrita é medida inconsequente, insensata e irresponsável, o fechamento e a proibição de funcionamento não são a cura, a vacina, o antídoto ou a medida profilática mais indicada”.

    O empresário Fábio Bezerra Cavalcanti concorda. “Os restaurantes de João Pessoa, pedem socorro! Aliás, o comércio em geral, clama por isso. O vereador está de parabéns pela sensibilidade em perceber isso e defender nossa bandeira”, declara.

    Ascom

  • Jornalista se lança candidato a prefeito de João Pessoa

    O partido Unidade Popular (UP) lançará hoje, às 19h, por meio de uma live no Facebook, o nome do jornalista Rafael Freire como pré-candidato à Prefeitura Municipal de João Pessoa. A UP obteve o registro eleitoral do TSE em dezembro de 2019 e, portanto, participará pela primeira vez de uma eleição.

    “Sou militante político desde os 16 anos. Já são duas décadas de ativismo no movimento estudantil, no movimento sindical e na imprensa independente. Defenderei, como pré-candidato da UP, o projeto de socialismo para o Brasil pensado pelo partido e o projeto popular que estamos elaborando para nossa cidade”, afirma Rafael.

    Foram meses de discussão interna na Unidade Popular analisando o quadro político local até chegar ao 2º Congresso Estadual da UP, no início de junho, em que os filiados decidiram, por unanimidade, construir esta pré-candidatura na Capital Paraibana.

    “Usaremos a tribuna eleitoral para denunciar os crimes cometidos pelo presidente da República e seus aliados contra o povo. Pessoas morrem aos montes no Brasil de covid-19 e de miséria. A pandemia escancarou as contradições do sistema capitalista, mas a crise sócio-econômica não surgiu com o coronavírus. É preciso derrotar imediatamente este governo genocida nas ruas e derrotar seus aliados nas urnas, em novembro”, finaliza o dirigente da UP.

    Rafael Freire é natural de João Pessoa e está prestes a completar 36 anos de idade. Formado em Jornalismo pela UFPB, foi presidente do Sindicato dos Jornalistas da Paraíba. Atua com assessoria de imprensa sindical e é editor do jornal e do site A Verdade. É membro do Diretório Nacional da UP e secretário de organização do partido na Paraíba.

    LINK DA LIVE: https://www.facebook.com/undadepopular/

    Parlamentopb

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios