Assessoria

Com mais de 43 anos prestados à radiofonia paraibana, o radialista Cardivando de Oliveira iniciou a carreira em plena ditadura militar. Apresentador do programa BOM DIA PARAÍBA, na rádio Sanhauá, Cardivando é dono de uma audiência invejável.Cardivando Cavalcante de Oliveira, pessoense, radialista com mais de 50 anos prestados ao radialismo paraibano, iniciou a carreira no ano de 1964, em plena ditadura militar, no bairro da Torre, como locutor da Difusora Luso-brasileira, pertencente ao radialista Manoel Alexandre.Âncora do programa BOM DIA PARAÍBA, apresentado pela rádio Sanhauá, na freqüência AM 1.280, Cardivando foi o comunicador pioneiro, a colocar o ouvinte no ar através do telefone. No seu programa, são abordados diversos temas sempre com a participação do ouvinte. Dono de um estilo singular de fazer rádio, Cardivando de Oliveira é o criador do bordão: "Tu cai daí", ora utilizado por ele, sempre que um ouvinte comete um deslize, ou exagera num determinado comentário.
  • Câmara de João Pessoa vai priorizar votação do projeto de reajuste do magistério

    A Câmara Municipal de João Pessoa recebeu na manhã desta segunda-feira, 27, a mensagem do prefeito Luciano Cartaxo (PV) encaminhando a Medida Provisória 073/2020 que concede reajuste linear de 13% aos profissionais efetivos da Educação do Município. “Será nossa prioridade no início dos trabalhos”, garantiu o presidente João Corujinha, ressaltando: “A Casa Legislativa entende que a medida é importantíssima para valorizar os profissionais que formam nosso futuro. A Câmara aplaude a iniciativa do prefeito Luciano Cartaxo e vai trabalhar para que ela seja posta em prática no mais breve intervalo de tempo possível”, garantiu o presidente.

    O reajuste se aplica aos servidores da ativa e inativos e incide sobre o vencimento básico, de acordo com o texto que chegou à Câmara na manhã desta segunda-feira, 27, com efeito retroativo a 1º de janeiro, integrando o Plano de Valorização do Magistério de João Pessoa.

    “É uma matéria que requer urgência e por isso já convoquei uma reunião da Mesa Diretora para decidirmos sobre a data de votação do reajuste dos servidores da Educação”, garantiu João Corujinha.

    CMJP

  • Semob-JP implanta mais de 128 mil metros quadrados de sinalização horizontal durante o ano de 2019

    É por meio da sinalização de trânsito que o condutor de qualquer veículo entende como deve se comportar numa via. Seja por meio de pinturas no chão ou por placas dispostas nas ruas, é o respeito à sinalização que garante a segurança de todos os envolvidos no trânsito. Pensando nisso, a Superintendência de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob-JP) faz um trabalho contínuo de implantação e renovação da sinalização.

    Durante todo o ano de 2019, foram 128.400 metros quadrados de sinalização horizontal pintada por toda a cidade, de acordo com dados da Divisão de Sistema Viário (DSV). Entre os destaques estão as 888 faixas de pedestre e 393 lombadas físicas. “Estes são equipamentos fundamentais para a segurança da pessoa mais frágil e mais importante do trânsito: o pedestre”, afirmou o superintendente Adalberto Araújo.

    Com relação às placas – seja de regulamentação, advertência ou de serviços auxiliares – também houve um trabalho ostensivo de substituição daquelas com más condições e de implantação de novas unidades. Foram 1.002 placas instaladas ao logo do ano. Os tachões amarelos e tachinhas brancas, que determinam ou orientam o fluxo, somaram mais de nove mil unidades.

    Abrigos de Ônibus – Quem anda de ônibus também pôde verificar a renovação de alguns abrigos. Foram 271 unidades que passaram por manutenção para garantir mais conforto aos usuários, independente das condições climáticas.

  • Procon-JP alerta que instituições de ensino não devem cobrar por documentos escolares, a exemplo de diploma

    Os estudantes universitários não devem pagar pelo diploma, é o que alerta a Secretaria Municipal de Proteção e Defesa do Consumidor baseada na Portaria Normativa de número 40 do Ministério da Educação de dezembro de 2007 para as instituições federais, e na lei estadual 9.866/2012, para as escolas e universidades privadas do Estado da Paraíba.

    A Portaria Normativa de número 40 do MEC prevê, entre outras coisas, que o documento é parte dos serviços educacionais e que as instituições de ensino não podem cobrar do aluno sua emissão. A portaria também institui o e-MEC, sistema eletrônico de fluxo de trabalho e gerenciamento de informações relativas aos processos de regulação da educação superior no sistema federal de educação.

    O artigo 32, parágrafo 4º, da Portaria 40 do MEC,diz textualmente que “a expedição do diploma considera-se incluída nos serviços educacionais prestados pela instituição, não ensejando a cobrança de qualquer valor, ressalvada a hipótese de apresentação decorativa, com a utilização de papel ou tratamento gráfico especiais, por opção do aluno”.

    Instituições privadas – Já a lei estadual 9.866/2012 dispõe sobre a proibição de cobrança de taxa referente a documentos escolares nas escolas e faculdades privadas da Paraíba. De acordo com a legislação local, são entendidos como documentos escolares, as declarações, históricos, boletins, emendas e diplomas dos alunos devidamente matriculados.

    Poder da informação – O secretário Helton Renê explica que é importante divulgar esse tipo de informação e que o Procon-JP, através das campanhas educativas/preventivas, trará, novamente, este ano, as leis editadas em todas as esferas, a exemplo da Portaria do MEC e da lei estadual que regulam a emissão de documentos escolares, para manter o consumidor informado e pronto para cobrar os seus direitos e denunciar, se for o caso, as irregularidades aos órgãos de defesa do consumidor.

    Questões amplas – O titular do Procon-JP acrescenta que a Portaria Normativa 40/2007 do MEC trata de várias questões, não apenas da emissão do diploma. “A Portaria fala sobre o compromisso da instituição de ensino de observar o padrão de qualidade, sobre informações aos alunos ao afixar em local visível a relação dos professores que integram o corpo docente do curso, com a respectiva formação, titulação e regime de trabalho, além da matriz curricular do curso, dos resultados obtidos nas últimas avaliações realizadas pelo Ministério da Educação, quando houver, etc”, afirma Helton Renê.

    Mais informações – O artigo 32 também fala sobre o valor corrente dos encargos financeiros a serem assumidos pelos alunos, incluindo mensalidades, taxas de matrícula e respectivos reajustes e todos os ônus incidentes sobre a atividade educacional.

    No parágrafo 2º está previsto que a instituição manterá em página eletrônica própria, e também na biblioteca, para consulta dos alunos ou interessados, registro oficial devidamente atualizado das informações referidas dessas informações, bem como do projeto pedagógico do curso e componentes curriculares, sua duração, requisitos e critérios de avaliação e o conjunto de normas que regem a vida acadêmica.

    Atendimentos do Procon-JP na Capital:

    Sede – segunda a sexta-feira: 8h às 14h, na sede situada na Avenida D. Pedro I, nº 473, Tambiá;

    MP-Procon – segunda a sexta-feira: 8h às 17h, na sede situada no Parque da Lagoa Solon de Lucena, nº 300, Centro;

    Uninassau: segunda a sexta-feira: das 8h às 17h, no Núcleo de Práticas Jurídicas da Faculdade Uninassau, na av. Amazonas, 173, Bairro dos Estados;

    Telefones: 2107-5925 (Uninassau) e 0800-083-2015.

  • Passagens de ônibus passam a custar R$ 4 e R$ 4,15 em João Pessoa a partir de domingo

    As passagens de ônibus de João Pessoa serão reajustadas a partir da 0h deste domingo, 26, passando a custar R$ 4,00 no cartão Passe Legal e R$ 4,15 para pagamento em dinheiro. A decisão foi tomada no fim da tarde de hoje durante reunião do Conselho Municipal de Mobilidade Urbana de João Pessoa (CMMU) na sede da Superintendência Municipal de Mobilidade Urbana (Semob-JP), no bairro do Cristo.

    Os integrantes do conselho debateram o custo do transporte coletivo urbano e análise da planilha tarifária.

    O último reajuste da tarifa havia acontecido em janeiro de 2019 quando ela passou de R$ 3,55 para R$ 3,95 em dinheiro e R$ 3,80 para usuários do Passe Legal.

    Planilha – O reajuste teve por base a planilha de custos do transporte público, que recebe o impacto de itens como combustível, peças, pneus, quilometragem percorrida pela frota, além da previsão de reajuste salarial dos operadores em 2020. O desconto de R$ 0,15 no momento da recarga do cartão, em relação à tarifa tradicional, é um incentivo para aumentar a modernização e a fiscalização do sistema, evitando fraudes e reduzindo a circulação de dinheiro.

    “O uso do cartão dá mais agilidade ao sistema de transporte, oferece mais segurança ao passageiro e fornece dados em tempo real sobre linhas e veículos. O desconto é uma forma de garantir que mais pessoas passem a optar pelo ‘Passe Legal’, uma tendência que vem se consolidando em várias capitais do país”, apontou o superintendente executivo de Mobilidade Urbana, Adalberto Araújo.

    Durante a reunião, a Semob assegurou que 100% dos ônibus serão acessíveis até o final deste ano, beneficiando pessoas com deficiência motora. A previsão é de que novos veículos sejam incorporados à frota, cuja renovação ultrapassou a marca de 51% desde 2013. A partir de repasses da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), a administração garante o Passe-Livre para estudantes da rede municipal de ensino, com direito a pagar meia passagem. Outros 38.000 bilhetes também são oferecidos mensalmente ao total de pacientes com Aids que utilizam o sistema de transporte da Capital.

    Conselho de Mobilidade – Os representantes do Conselho de Mobilidade também trataram das obras de requalificação da Epitácio Pessoa, que irá transformar a via em uma avenida passeio. Os representantes ressaltaram o investimento na malha viária de João Pessoa com o programa Ação Asfalto, que alcançou a marca de 180km de ruas e avenidas asfaltadas, dando prioridade às áreas por onde passa o transporte público. Outro ponto mencionado foram os mais de 20 km de faixa exclusiva de ônibus, responsável pela redução no tempo das viagens.

    Integram o Conselho a Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP), o Sindicato dos Condutores de Veículos Rodoviários e Trabalhadores em Transportes Urbanos de Passageiros de João Pessoa, a Junta Governista do Sindicato dos Motoristas, o Sindicato de Transportes Urbanos de João Pessoa (Sintur), o Diretório Central dos Estudantes da UFPB (DCE/UFPB), o Conselho Universitário de Carteiras – CUC, representante universitário da rede privada, o Conselho Metropolitano de Carteiras de Estudantes – CMCE, além de representante secundarista das redes pública e privada.

    Também participam membros da Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) e das Secretarias de Planejamento (Seplan), Infraestrutura (Seinfra), Meio Ambiente (Semam) e de Educação e Cultura (Sedec), além do Orçamento Participativo.

  • Anuário da Segurança Pública: Paraíba registra redução de 22% no número de homicídios em 2019

    A Paraíba apresentou uma redução de 22% nas ocorrências de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que são os homicídios dolosos ou qualquer crime doloso que resulte em morte, e de 13% nos assassinatos de mulheres, no ano passado. É o que aponta o Anuário da Segurança Pública na Paraíba apresentado ao governador João Azevêdo nesta quarta-feira (22), durante reunião com as forças de Segurança, realizada no Palácio da Redenção, em João Pessoa.

    Outros indicadores criminais foram apresentados, não só em relação aos crimes contra a vida, como também referentes a crimes contra o patrimônio e apreensão de armas e drogas, entre outros. Participaram da reunião gestores da Polícia Militar, da Polícia Civil, do Corpo de Bombeiros Militar e da Administração Penitenciária.

    Na ocasião, também foi apresentado o planejamento estratégico da Secretaria de Estado da Segurança Pública e da Secretaria de Estado da Administração Penitenciária para os próximos anos.

    Na oportunidade, o governador João Azevêdo destacou o aumento de investimentos na segurança e enalteceu o trabalho de homens e mulheres que integram o segmento. “Nós fechamos um ano muito importante para a segurança pública e esses resultados nos alegram e aumentam a nossa responsabilidade para que os números possam melhorar cada vez mais e tenho a certeza de que a unidade continuará fazendo a diferença para que todo o trabalho desenvolvido seja preservado”, disse.

    O secretário da Segurança e da Defesa Social, Jean Francisco Nunes, assegurou o esforço da gestão para fortalecer as ações e ampliar os bons índices em 2020. “Nós vamos continuar com um trabalho forte e integrado, com o apoio fundamental do governador que tem liderado esse processo de uma maneira positiva, fazendo com que a gente tenha inspiração e empolgação para continuar trabalhando. Todos os investimentos em reestruturação física e de carreira dos policiais, como promoções e autonomia financeira da Polícia Civil, permitiram um ânimo diferenciado na tropa e nós temos uma expectativa muito boa para este ano, com inaugurações de delegacias, aquisição de novos equipamentos e mais ações de maneira geral”, afirmou.

    “Esses números são frutos de muito trabalho dos profissionais que estão nas ruas, sob a liderança firme do governador João Azevêdo e de um conjunto de investimentos, da qualificação técnico-profissional e logística, além do relacionamento que, a cada dia, tem sido aprimorado. Nós vamos buscar reduzir ainda mais os crimes contra a vida, mas também contra o patrimônio, com operações específicas em um ano desafiador, que vamos encarar com mais policiamento nas ruas, prevenção, repressão qualificada e muito amor a uma causa em defesa do povo da Paraíba”, evidenciou o comandante-geral da Polícia Militar, coronel Euller Chaves.

    O secretário da Administração Penitenciária, Sérgio Fonseca, explicou que o Planejamento Estratégico elaborado para a Pasta visa a redução da reincidência criminal, com foco em áreas estratégicas como ação social, saúde e educação. “Nós identificamos que elevar o nível de reintegração social é o principal objetivo da administração penitenciária. Uma das ações já iniciadas é o Escritório Social e a lei 11.613, que trata do incentivo às empresas a construírem parcerias com o sistema prisional, porque entendemos que é preciso oferecer dignidade para as pessoas que estão reclusas, o que resultará, automaticamente, na diminuição da reincidência criminal”, pontuou.

    Dados – O relatório do Núcleo de Análise Criminal e Estatística da Secretaria da Segurança e da Defesa Social (Sesds) mostra que em 2019 foram registrados 942 assassinatos na Paraíba, contra 1.210 no ano anterior, o que representa a menor quantidade de homicídios da década. A redução acumulada desde 2011 chega a 44% e a taxa saiu de 44,3 mortes por 100 mil habitantes para 23,4 (-47%). Ainda de acordo com o documento, no ano passado 63 municípios paraibanos não registraram assassinatos. Os casos de latrocínio também tiveram redução de 24% com 34 casos registrados em 2018 e 26 casos em 2019, com taxa de 0.65 ocorrências por 100 mil habitantes.

    No que se refere à violência contra a mulher, o trabalho das forças de Segurança resultou na redução de 13% das ocorrências, com 73 casos em 2019 contra 84 no ano anterior. O dado representa o menor número de mulheres assassinadas em 10 anos e uma queda acumulada de 50% dos registros desde 2011. A taxa saiu de 7,47 mortes por 100 mil habitantes para 3,53 (-53%). O registro de feminicídios em 2019 foi de 38 ocorrências.

    Das 22 Áreas Integradas de Segurança Pública (Aisp) existentes no Estado, 16 tiveram redução no registro geral de assassinatos. Pela redução no 2º semestre do ano, 12.401 servidores do Sistema de Segurança paraibano terão direito a receber o Prêmio Paraíba Unida pela Paz (PPup). Serão R$ 10,8 milhões pagos no período e um total de R$ 90 milhões pagos desde 2014, quando o prêmio foi instituído.

    Aumento na elucidação – O número de homicídios elucidados na Paraíba também aumentou. De janeiro a setembro, 51% dos casos são esclarecidos, sendo que 28% com prisão dos autores dos crimes, por meio de mandado de prisão (44%) ou em flagrante (56%). A região que mais se destaca é Campina Grande, com uma elucidação que chega a 67%.

    Baixa letalidade policial – De acordo com o Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Sesds, os casos de mortes provocadas por confronto com integrantes das forças de Segurança da Paraíba tiveram uma redução de 14% em relação a 2018. Naquele ano, foram registrados 29 casos, enquanto em 2019 aconteceram 25 ocorrências. Os números demonstram que a taxa de caiu de 0,73 para 0,62 mortes por 100 mil habitantes.

    O número de policiais mortos em confronto também teve redução. A queda foi de 60%, com dois policiais mortos, sendo que nenhum deles em serviço. Em 2018, foram seis casos de mortes em confronto, sendo que em um deles o policial estava trabalhando.

    Força-tarefa reduz assaltos a bancos – O Estado também teve redução nos crimes contra instituições bancárias, com menos 61% de registros. No início do ano, uma força-tarefa contra assaltos a banco foi criada na Paraíba. A ação fez com que o número de ocorrências saísse de 76 casos em 2018 para 30 no ano passado. Foram 10 arrombamentos, 16 furtos com uso de explosivos e quatro roubos. Os casos com explosões tiveram uma queda de 72%.

    Menos roubos em João Pessoa e Campina Grande – As duas maiores cidades do Estado tiveram redução nas ocorrências de roubos, segundo a Sesds. Na capital paraibana, a queda geral foi de 31%, sendo 34% de roubos a pessoa, 6% em estabelecimentos comerciais, 8% em residências e 29% nos casos de roubos em transportes coletivos. Já em Campina Grande, a diminuição de crimes contra o patrimônio foi de 17%, com menos 5% de roubos a pessoa, menos 34% de casos em estabelecimentos comerciais, menos 36% de assaltos em residências e menos 53% de casos em transportes coletivos.

    As ações policiais também recuperaram veículos roubados no Estado. Em 2019, 2.636 carros e motos foram devolvidos aos seus proprietários como resultado do trabalho das forças de Segurança.

    Apreensão de armas e drogas – Em 2019, 3.754 armas de fogo, entre revólveres (37%), pistolas (8%), espingardas (52%) e outros tipos de armamentos (3%) foram apreendidos pelas Polícias Militar e Civil. O número é 54% maior que número de armas retiradas de circulação no ano anterior (2.440). Ainda segundo o relatório, em 2019 houve a segunda maior apreensão desse tipo de material na década, totalizando 27,6 mil armas de fogo que foram recolhidas das ruas durante o Programa Paraíba Unida pela Paz.

    Desde 2011 também foram apreendidas 16,7 toneladas de drogas, gerando uma média 5,09 quilos de entorpecentes que deixaram de se comercializadas no Estado. No ano passado, 1 tonelada e 234,2 quilos de maconha, cocaína e crack foram apreendidos.

    Resgates e socorros – O Corpo de Bombeiros Militar atuou em 3.312 ocorrências que demandaram resgate de acidentados em 2019, em 16 cidades paraibanas. O maior número de atendimentos foi realizado na região metropolitana de João Pessoa e litorais sul e norte, com 2.407 casos. Já os socorros de vítimas de crimes potencialmente letais intencionais totalizaram 114 registros, em 15 cidades, sendo a maioria também em João Pessoa e região metropolitana.

    Prisões e operações de interesse estratégico – Um total de 19,2 mil prisões de interesse estratégico foi realizado pelas forças de segurança da Paraíba de janeiro a dezembro de 2019. Entre essas, 3.104 são consideradas de interesse estratégico, a exemplo de cumprimento de mandados de prisão, prisões de acusados de roubos em geral, roubos de carros, roubos a banco e assassinatos. Somente por crimes patrimoniais, 1.490 pessoas foram presas.

    Em relação às operações de interesse estratégico, o total foi de 6.405 ações de prevenção e repressão qualificadas no ano passado, e que envolveram a participação de policiais militares, policiais civis e bombeiros militares do litoral ao sertão da Paraíba.

  • Prefeitura de João Pessoa lança programação do Carnaval de Boa 2020, antecipa investimento no Carnaval Tradição e anuncia programação especial no Centro Histórico

    Abertura será com Jonas Esticado. Já o Folia de Rua terá Elba Ramalho, Alceu Valença, Durval Lélys e Bell Marques como principais atrações; 37 agremiações desfilam no Carnaval Tradição; Novidade, o ‘Carnaval do Centro Histórico’ promete arrastar os foliões durante o festejo de momo

    Cores, brilho, animação e uma movimentação ainda maior da economia da capital paraibana. A folia já tem data marcada para desfilar nas ruas de João Pessoa com o ‘Carnaval de Boa 2020’, que este ano acontece entre os dias 13 e 24 de fevereiro. O anúncio foi feito na noite desta quarta-feira (22/01), no Pavilhão do Chá, pelo prefeito da Capital, Luciano Cartaxo.

    A noite de abertura será comandada pelo cantor Jonas Esticado, no Ponto de Cem Reis, a partir das 19h. Nesta edição, além da variedade de atrações do Folia de Rua, das festas nos bairros e do aumento dos investimentos no Carnaval Tradição, a grande novidade é o Carnaval no Centro Histórico, que vai trazer frevo, maracatu e música regional para o lugar onde a Capital paraibana nasceu.

    “O melhor destino turístico entre as capitais do país terá uma programação completa durante o Carnaval, fazendo a festa de quem vive em João Pessoa e de quem nos visita. A cidade criativa reconhecida pela Unesco estará de portas abertas para fazer uma grande festa, movimentando a economia e gerando novas oportunidades. É folia, tradição e muita animação, que agora também vai chegar no nosso Centro Histórico”, disse o prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo.

    Folia de Rua – A Avenida Epitácio Pessoa, que neste período se transforma na ‘Via Folia’, é o local que vai receber os maiores blocos do Folia de Rua. O primeiro deles será o ‘Vumbora’, dia 14/02, comandando pelo cantor Bell Marques. A animação baiana estará presente também no terceiro dia, com o cantor Durval Lélys, que se apresenta no Bloco dos Atletas no sábado (15/02).

    Uma das agremiações mais queridas dos paraibanos, ‘As Virgens de Tambaú’ (16/02) também contará com um nome de peso para a festa do quarto dia do ‘Carnaval de Boa’. Pelo incentivo da Prefeitura da João Pessoa, é a cantora paraibana Elba Ramalho quem comandará o trio principal, arrastando milhares de foliões.  No total, oito trios animam as Virgens: Trio Swingueira, com a Banda Abala; Trio Eletrônico, com Furni; Trio Rock, com Ze Filho e convidados; Trio Forronejo, com Felipe Morais; Trio Sob Medida, com JM Puxado; Trio Frevo, com Gracinha Liss e Jairo; Trio MPB, com Myra Maia.

    A Prefeitura também garantiu a apresentação do cantor pernambucano Alceu Valença, principal atração do tradicional Muriçocas do Miramar, que deve descer a Avenida Epitácio Pessoa, animando a festa com grandes sucessos da sua carreira na quarta-feira (19/02).

    Carnaval Tradição – A entrega dos investimentos às agremiações foi realizada no lançamento do ‘Carnaval de Boa’, na noite desta quarta-feira, dando continuidade ao modelo adotado desde 2013, quando os carnavalescos passaram a receber os investimentos com cerca de 30 dias de antecedência. Isto dá mais conforto e independência para que os grupos organizem o carnaval com mais brilho e tranquilidade.

    Para fomentar a tradição cultural da cidade, este ano a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), através da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope), realizou um incremento nos valores do Carnaval Tradição. Este ano, desfilarão na Duarte da Silveira 37 agremiações, cinco a mais que o ano passado, com um total de R$ 460 mil em investimentos.

    Para que a festa não perca o brilho e os carnavalescos continuem tendo independência para produzir suas peças, a gestão municipal investiu R$ 50 mil a mais na edição deste ano, contemplando novas agremiações, sem reduzir os valores investidos nas que desfilaram no ano anterior.

    A Funjope também será parceira de dezenas de blocos carnavalescos que farão a festa nos bairros da capital paraibana. As agremiações serão selecionadas por edital, com resultado a ser divulgado nos próximos dias.

    Carnaval no Centro Histórico – A folia vai tomar conta das ladeiras e ruas centenárias do lugar onde a cidade nasceu. O ‘Carnaval no Centro Histórico’ surge como mais um marco para o festejo em João Pessoa. A grande novidade para este ano é o bloco ‘Bota pra Descer’ (24/02), o primeiro realizado pela Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) na região, por meio do AnimaCentro e da Fundação Cultural de João Pessoa (Funjope). A concentração do bloco será na Casa da Pólvora, a partir das 15h, de onde sai em direção ao polo localizado na Villa Sanhauá. De lá, segue para o Parque Ecológico Sanhauá, onde terá um palco para o show de encerramento da festa.

    Outro bloco que este ano entra na programação oficial do ‘Carnaval de Boa 2020’ é o ‘Tome Ladeira’, no dia 23/02, na Avenida General Osório. Agora com a co-realização da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), a festa, que é organizada pela General Store – Camiseteria e Cafeteria, promete ser ainda maior e mais bonita. Orquestras de frevo e muita folia devem caminhar pelas ruas do Centro de João Pessoa, mostrando o potencial do carnaval do Centro Histórico

    Para a criançada, acontece no dia 22/02 o Bloquinho do Parque, com concentração às 16h no Parque da Lagoa. A animação será da Banda Castelo Encantado. Também integra a programação as edições carnavalescas do AnimaCentro. Serão quatro temáticas no Sabadinho Bom e outras quatro no Parque da Lagoa. No total, serão 12 blocos/eventos no Centro Histórico de João Pessoa durante o carnaval.

     

    PROGRAMAÇÃO:

    Abertura do ‘Carnaval de Boa 2020’:

    Quinta (13/02) – Abertura com Jonas Esticado (Ponto do Cem Reis)

    Folia de Rua:

    Sexta (14/02) – Bloco Vumbora com Bell Marques  (Av. Epitácio Pessoa)

    Sábado (15/02) – Bloco dos Atletas com Durval Lélys (Av. Epitácio Pessoa)

    Domingo (16/02) – Virgens de Tambaú com Elba Ramalho (Av. Epitácio Pessoa)

    Quarta feira (19/02) – Muriçocas do Miramar com Alceu Valença (Av. Epitácio Pessoa)

    Sexta-feira (21/02) – Bloco dos Cafuçus (Centro)

    Carnaval no Centro Histórico:

    Sábado (22/02) – Bloquinho no Parque com a Banda Castelo Encantado (Parque da Lagoa)

    Domingo (23/02) – Bloco E Tome Ladeira

    Segunda (24/02) – Bloco Bota pra Descer

    Carnaval Tradição: 22/02 a 24/02 (Av. Duarte da Silveira).

  • Luciano Cartaxo anuncia aumento de 13% para o Magistério e Prefeitura paga 30% acima do Piso Nacional com remuneração que pode chegar a R$ 9,2 mil

    O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, anunciou, na manhã desta terça-feira (21), um aumento de 13% nos salários dos mais de 4.500 profissionais do Magistério da Rede Municipal de Ensino da Capital. Com um reajuste superior ao concedido pelo Governo Federal e muitos municípios brasileiros, a Prefeitura Municipal de João Pessoa segue pagando uma remuneração salarial 30% superior ao Piso Nacional da Educação, o que representa também o maior valor pago ao Magistério em toda a Paraíba.

    De acordo com a nova tabela de pagamentos, os profissionais da Educação no regime de 30h e início de carreira com nível médio, passam a receber uma remuneração de R$ 2.766,62. Com nível superior, entre professores e especialistas, o valor fica fixado em R$ 3.478,42. Mas, considerando os anos finais e profissionais com doutorado, a remuneração pode chegar a RS 9.213,51. O pagamento é retroativo a 1° de janeiro e o ganho real representa uma elevação três vezes superior à inflação acumulada em 2019, que ficou em 4,31%.

    “O futuro de uma nova geração passa pela educação. E essa transformação começa na sala de aula, com professores mais valorizados. É por isso que aqui em João Pessoa vamos dar a largada para o ano letivo 2020 com aumento salarial de 13%, dentro do programa de valorização do Magistério implantando ainda em 2013. A medida vem somada a outras ações importantes, como o pagamento do 14º salário, realizado no final do ano passado, e a distribuição de microfones para melhorar a saúde vocal dos profissionais da Educação”, disse o prefeito Luciano Cartaxo.

    O anúncio aconteceu durante a abertura do ano letivo 2020, com a Formação Continuada do Programa Geração Alfabetizada reunindo mais de 300 diretores das escolas e creches, realizado no auditório do Tribunal de Contas do Estado (TCE), nesta terça-feira (21). A formação teve como tema ‘Escola boa é aquela que ensina e na qual o aluno aprende’, e recebeu a formadora da cidade de Fortaleza, a professora Lucidalva Pereira Bacelar, com o objetivo de discutir sobre o papel da gestão escolar para garantir uma escola em que os alunos e alunas tenham uma educação de qualidade.

    A Formação Continuada dos gestores das unidades escolares de João Pessoa compõe a agenda positiva de prioridades implantada pela Sedec com diversas parcerias que colaboram para a consolidação do projeto de Educação que o município vem construindo nos últimos sete anos. Com o programa Geração Alfabetizada, a PMJP busca despertar o gosto pela leitura e, de maneira interdisciplinar, estimular o aprendizado e alfabetização na idade certa, impactando positivamente na Educação desta nova geração nos anos seguintes.

    Mais avanços – A secretária de Educação de João Pessoa, Edilma da Costa Freire, destacou que a área será beneficiada também com concurso público para 700 profissionais este ano. “As vagas serão destinadas à Educação Infantil, fortalecendo a maior rede de creches da Paraíba. Com isso, chegaremos à marca de 2 mil novos profissionais entrando pela porta da frente do serviço público apenas na Rede Municipal de Ensino”, destacou.

  • Paraíba é destaque em reportagem do Fantástico entre os estados com baixa letalidade policial

    A baixa letalidade da Polícia Militar e da Polícia Civil da Paraíba foi destaque em matéria nacional do Fantástico, exibida na Rede Globo na noite desse domingo (19). A reportagem de Sonia Bridi citou o Estado como uma das poucas unidades da federação onde o número geral de assassinatos está caindo e as mortes por policiais permanecem baixas. Os motivos apontados foram o treinamento dos integrantes das forças de Segurança, abrangendo tanto situações de risco quanto abordagens na rua, frisando a atuação do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar e do Grupo de Operações Especiais (GOE) da Polícia Civil, assim como ações sociais desenvolvidas em localidades consideradas de risco.

    “Nós estamos na rua, procurando combater o crime e aplicar a lei, de acordo com os princípios fundamentais que estão na nossa Constituição. A polícia aqui não sai caçando”, frisou o secretário Jean Nunes, da Segurança e da Defesa Social (Sesds) na matéria, que trouxe o uso do simulador de tiros na Academia de Polícia Civil como elemento importante para a baixa letalidade, por promover treinamento para a correta tomada de decisão no disparo de arma de fogo.

    Em um dos trechos da reportagem, a diretora-executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública (FBSP), Samira Bueno, disse que “tem polícias que não produzem mortes, que não matam, que não têm essa prática em seu repertório”. Um dos exemplos utilizado foi a ação realizada pelo Bope no município de Lucena, que resultou na prisão de uma quadrilha especializada em assaltos a banco, com a exibição do momento exato em que os criminosos que explodiram um carro-forte foram rendidos pelos policiais do Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar, na cidade de Lucena, em 2018.

    Na área social, a matéria trouxe o trabalho das Unidades de polícia Solidária (UPS) da Polícia Militar da Paraíba, que atua nas periferias para reduzir os homicídios, patrulhar ruas, negociar conflitos e acolher jovens. O projeto desenvolvido no bairro do Mário Andrezza, em Bayeux, com teatro, música e dança, mostrou que os índices de criminalidade tiveram diminuição.

    A reportagem destacou ainda que, na Paraíba, o Governo paga um prêmio para os polícias pela redução da criminalidade e que no Estado as mortes provocadas por agentes de segurança pública contam como crime nas estatísticas.

    Baixa letalidade em números – De acordo com o Núcleo de Análise Criminal e Estatística (Nace) da Sesds, os casos de mortes provocadas por confronto com integrantes das forças de Segurança da Paraíba tiveram uma redução de 14% em relação a 2018. Naquele ano, foram registrados 29 casos, enquanto em 2019 aconteceram 25 ocorrências. Os números demonstram que a taxa caiu de 0,73 para 0,62 mortes por 100 mil habitantes.

    A Paraíba também tem se destacado no número geral de assassinatos registrados em seu território. O Estado é o único do Brasil a reduzir as ocorrências de Crimes Violentos Letais Intencionais (CVLI), que são os homicídios ou qualquer outro crime doloso que resulte em morte, durante oito anos consecutivos.

  • João Azevêdo anuncia reajuste linear de 5% para todos as categorias de servidores

    O governador João Azevêdo anunciou, nesta segunda-feira (20), o reajuste linear de 5% para os servidores efetivos ativos, inativos e pensionistas das administrações direta e indireta do Estado. O valor fixado pela gestão estadual supera a alta da inflação e da arrecadação do ano passado e representa o maior aumento salarial em relação aos demais estados, uma vez que o Espírito Santo e o Paraná estabeleceram índices de 3,5% e 2%, respectivamente, e os demais não concederão ou ainda não definiram o percentual de reajuste.

    Durante solenidade de posse dos mil concursados do magistério, o chefe do Executivo estadual também assegurou os reajustes do salário mínimo e do piso do magistério. As medidas econômicas irão gerar um impacto superior a R$ 340 milhões na folha de pessoal em 2020.

    Em sua fala, o governador João Azevêdo ressaltou o esforço da gestão estadual para iniciar a recomposição do poder aquisitivo do funcionalismo e contemplar todos as categorias de servidores, incluindo os inativos. “Nós estamos tendo a preocupação com o cidadão que se aposenta, com o reformado da polícia, com os pensionistas que estão há mais de cinco anos sem receber reajuste. O percentual de 5% torna a Paraíba como o único estado do Brasil a dar um aumento linear nesse patamar, recuperando a capacidade da base salarial e demonstrando respeito a todos os que dedicaram sua vida inteira ao serviço público. Eu digo com toda tranquilidade que vamos fazer mais pelo funcionalismo este ano do que no ano passado, o que é fundamental para manter as estruturas funcionando”, frisou.

    Piso do magistério – O reajuste será de 12,84%, beneficiando 26.656 professores, incluindo os que foram empossados hoje. As remunerações dos professores, que têm carga horária de 30 horas, variam de R$ 2.381,06 para o professor de Educação Básica, classe B (nível 1) a R$ 5.604,56. O impacto na folha de pessoal será de R$ 160 milhões este ano.

    Salário mínimo – Em janeiro, conforme a legislação federal, será pago o valor de R$ 1.039,00. A partir de fevereiro, o salário passa a ser de R$ 1.045,00. O aumento salarial representa um impacto anual de R$ 40 milhões na folha de pagamento do estado.

  • Técnicos da Semam fazem poda e acompanhamento fitossanitário das árvores na Epitácio Pessoa

    As árvores que estão na calçada da Epitácio Pessoa estão sendo acompanhadas pelos técnicos da Secretaria de Meio Ambiente (Semam), da Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), durante o projeto de requalificação da avenida.

    Na Avenida Epitácio Pessoa são acompanhadas, pelos técnicos da Semam, 270 árvores, a maioria da espécie Cássia Brasil, algumas com mais de 50 anos, plantadas quando a avenida foi projetada. Dessas, 242 árvores, de grande porte, estão recebendo o poda de raiz e acompanhamento fitossanitário. Os técnicos analisam a condição das plantas, se há presença de cupim ou fungo, condição dos troncos e fazem o tratamento, quando necessário.

    A poda de raiz é uma poda preventiva, que ordena o crescimento radicular, prevenindo quebra de calçadas no novo piso da Epitácio Pessoa, facilitando a acessibilidade para todos. O procedimento segue as normas da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT – 16246-1), ordenando de acordo com as regras de proporcionalidade.

    Também está sendo feita a poda aérea de todas as árvores da Avenida. Os técnicos da Semam acompanham toda a ação, com cuidado para que as árvores cresçam de maneira saudável. O engenheiro agrônomo da Semam, Anderson Fontes, destacou que é preciso alguns cuidados. “A arquitetura de uma árvore, plantada numa avenida, é diferente das árvores que crescem em uma floresta. Considerando esse e outros aspectos, é preciso entender a condição de saúde daquelas árvores, para executar o melhor procedimento, garantindo mais saúde, mais tempo de vida, considerando todos os aspectos do entorno, como fiação da rede elétrica, sistema de saneamento, espaço para os pedestres, cuidados com os veículos que transitam na área, entre outros detalhes”, complementou.

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios