CCJ aprova incentivo à doação de plasma, distribuição de álcool em gel e outras matérias de combate à Covid-19

Colegiado se reuniu na manhã desta segunda-feira (29) e apreciou cerca de 15 matérias

A Comissão de Constituição, Justiça, Redação e Legislação Participativa (CCJ) da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) se reuniu na manhã desta segunda-feira (29) e foi favorável a diversas matérias que visam ao combate do novo coronavírus (Covid-19) na Capital. Dentre elas, o incentivo à doação de plasma convalescente e distribuição de álcool em gel a pessoas em situação de vulnerabilidade.

O plasma convalescente é a parte líquida do sangue que contém anticorpos e combate infecções. Ele é doado por pessoas recuperadas da Covid-19 a quem ainda sofre com o vírus para ajudar no processo de recuperação. A utilização do plasma em pacientes com coronavírus já acontece na Capital e produziu resultados positivos. Pensando nisso, o Projeto de Lei (PL) 1918/2020, da vereadora Raíssa Lacerda (Avante), cria um programa de incentivo à doação do plasma, promovendo benefícios aos doadores, como a prioridade em projetos de estímulo ao empreendedorismo do poder público municipal.

A aprovação do parecer favorável ao projeto aconteceu de forma unânime pelos membros da comissão, que parabenizaram a vereadora pela iniciativa. “É uma sensação muito maior do que a doação de sangue, quando você sabe que em busca de tantos meios de cura, esse tratamento tem dado resultados positivos. Parabenizo a vereadora pela proposição”, afirmou o presidente da CCJ, vereador Thiago Lucena (PRTB), que já teve Covid-19 e afirmou ser doador de plasma.

Mais matérias de combate ao coronavírus

A comissão ainda foi favorável ao projeto 1820/2020, que dispõe sobre a distribuição de álcool em gel para pessoas em situação de vulnerabilidade no Município; e ao PL 1922/2020, que prevê a contrapartida da Administração Pública Municipal em parceria com laboratórios privados de análises para a realização de exames de Covid-19 na população do Município, ambos de autoria do vereador Leo Bezerra (Cidadania).

Ainda teve parecer favorável o PL 1867/2020, que cria a parada segura no transporte público coletivo urbano para profissionais da saúde durante o período da pandemia, uma propositura do vereador Lucas de Brito (PV); e o PL  1874/2020, que versa sobre a testagem periódica de Covid-19 em profissionais que atuam nas casas de acolhida, instituições de internação e conselhos tutelares, de autoria do vereador Marcos Henriques (PT).

Demais Matérias

Ao todo, a comissão aprovou sete pareceres favoráveis e cinco contrários, além de rejeitar dois pareceres favoráveis. O vereador Thiago Lucena pediu vistas do PL 1884/2020, de autoria de Humberto Pontes (PV), que institui o “Programa Telecuidado” de monitoramento de idosos com suspeita ou diagnóstico de Covid-19 que moram sozinhos. “A disponibilização de uma pulseira aos idosos que ainda não é oferecida no mercado pode gerar um custo inimaginável. Quero pedir vista, estudar o projeto para torná-lo constitucional”, afirmou o vereador destacando a importância da iniciativa.

Realocação orçamentária

Teve parecer favorável o PL 1898/2020, do Executivo Municipal, que autoriza a realocação de dotações orçamentárias através de transposição, remanejamento e transferência de recursos de uma categoria de programação para outra, ou de um órgão para outro no orçamento vigente, no valor de R$ 717.000,00. O vereador Leo Bezerra havia solicitado vista da matéria, mas afirmou que não conseguiu realizar o estudo pretendido. “Não consegui fazer o levantamento de quanto a Prefeitura já remanejou, uma vez que ela só pode movimentar 30% do orçamento”, afirmou o parlamentar justificando sua abstenção.

O líder da bancada da situação na Casa, vereador Milanez Neto (PV), garantiu que o montante movimentado pela Prefeitura não chega nem aos 20%. O vereador Renato Martins (Avante) declarou que espera que essas medidas de remanejamento “se transformem de fato em melhoria e qualidade no serviço público”.

Secom CMJP

Tags

Assessoria

Com mais de 43 anos prestados à radiofonia paraibana, o radialista Cardivando de Oliveira iniciou a carreira em plena ditadura militar. Apresentador do programa BOM DIA PARAÍBA, na rádio Sanhauá, Cardivando é dono de uma audiência invejável.Cardivando Cavalcante de Oliveira, pessoense, radialista com mais de 50 anos prestados ao radialismo paraibano, iniciou a carreira no ano de 1964, em plena ditadura militar, no bairro da Torre, como locutor da Difusora Luso-brasileira, pertencente ao radialista Manoel Alexandre.Âncora do programa BOM DIA PARAÍBA, apresentado pela rádio Sanhauá, na freqüência AM 1.280, Cardivando foi o comunicador pioneiro, a colocar o ouvinte no ar através do telefone. No seu programa, são abordados diversos temas sempre com a participação do ouvinte. Dono de um estilo singular de fazer rádio, Cardivando de Oliveira é o criador do bordão: "Tu cai daí", ora utilizado por ele, sempre que um ouvinte comete um deslize, ou exagera num determinado comentário.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios