Ortotrauma realizou mais de 1,5 mil cirurgias nos três primeiros meses do ano

O Complexo Hospitalar de Mangabeira Governador Tarcísio de Miranda Burity (Ortotrauma) realizou 1.563 cirurgias no período de janeiro até março deste ano. O número equivale a uma média de 521 cirurgias mensais e aumento de 10% em relação à quantidade de procedimentos cirúrgicos realizados no mesmo período do ano passado. No primeiro trimestre de 2018, foram realizadas 1.422 cirurgias na unidade.

O hospital é referência no Estado da Paraíba em cirurgia de urgência e emergência de áreas abaixo do cotovelo e abaixo do joelho, conforme pactuação firmada com o Ministério da Saúde. De acordo com a diretora geral da unidade hospitalar, Fabiana Araújo, a maior parte dos procedimentos corresponde à especialidade de ortotraumatologia, com casos decorrentes de acidentes de trânsito.

“Os acidentes de trânsito são um problema social com graves repercussões nas famílias paraibanas. Por isso, é necessário esclarecimentos mediante rodas de conversas e oferta do espaço público para veicular medidas de prevenção. Assim, podemos construir uma sociedade consciente, livre de acidentes, hospitalizações, sofrimento e mortes”, afirmou Fabiana Araújo.

O Complexo Hospitalar de Mangabeira, que integra a rede municipal de saúde de João Pessoa, também realiza pequenas cirurgias sem internamento, consultas, exames laboratoriais e por imagem, tratamentos de recuperação motora por meio do Centro de Reabilitação e Tratamento da Dor (Cendor) e urgência psiquiátrica por meio do Pronto Atendimento em Saúde Mental (Pasm).

Cendor – O Centro de Reabilitação e Tratamento da Dor (Cendor), localizado no Ortotrauma, atende pessoas que sofrem com dores crônicas e pacientes submetidos a cirurgias de ortopedia na unidade hospitalar, contribuindo para a recuperação. De janeiro até março deste ano foram realizados 3.880 atendimentos no serviço, incluindo especialidades como acupuntura, fisioterapia, neurologia, hidroterapia, pilates, RPG e auriculoterapia.

Pasm – O Pronto Atendimento em Saúde Mental (Pasm) do Ortotrauma atendeu 1.091 pessoas nos três primeiros meses do ano. O serviço atende casos de ideação suicida, distúrbios psiquiátricos em fase aguda e descompensação dos tratamentos psiquiátricos com aparecimento de sintomas patológicos agudos.

SECOM PMJP

Tags

Assessoria

Com mais de 43 anos prestados à radiofonia paraibana, o radialista Cardivando de Oliveira iniciou a carreira em plena ditadura militar. Apresentador do programa BOM DIA PARAÍBA, na rádio Sanhauá, Cardivando é dono de uma audiência invejável.Cardivando Cavalcante de Oliveira, pessoense, radialista com mais de 50 anos prestados ao radialismo paraibano, iniciou a carreira no ano de 1964, em plena ditadura militar, no bairro da Torre, como locutor da Difusora Luso-brasileira, pertencente ao radialista Manoel Alexandre.Âncora do programa BOM DIA PARAÍBA, apresentado pela rádio Sanhauá, na freqüência AM 1.280, Cardivando foi o comunicador pioneiro, a colocar o ouvinte no ar através do telefone. No seu programa, são abordados diversos temas sempre com a participação do ouvinte. Dono de um estilo singular de fazer rádio, Cardivando de Oliveira é o criador do bordão: "Tu cai daí", ora utilizado por ele, sempre que um ouvinte comete um deslize, ou exagera num determinado comentário.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fechar

Adblock Detectado

Considere nos apoiar desabilitando o bloqueador de anúncios